Atendimentos Odontológicos Durante Pandemia Covid-19

Compartilhar:

Transcrição: Memorando Circular nº: 19/2020 – CSAU- 09888

GOIANIA, 08 de maio de 2020.

Da (o):  COMANDO DE SAÚDE BOMBEIRO MILITAR

Para: Todo CBMGO

 

Assunto: ORIENTAÇÕES QUANTO AO ATENDIMENTO ODONTOLÓGICO DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19

 

CONSIDERANDO a atual situação de emergência em saúde pública por que passa todo o mundo, o Brasil e o Estado de Goiás em função da pandemia de COVID-19, medidas de contenção são recomendadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), Ministério da Saúde (MS) e demais órgãos oficiais com o propósito de mitigar a transmissão e infecção da população;

 

CONSIDERANDO que os serviços de saúde em Odontologia apresentam altíssimo risco para transmissão de doenças pela própria natureza dos procedimentos (devido à exposição inevitável aos aerossóis gerados pelos instrumentos rotatórios associados a saliva e sangue) favorecendo, assim, a propagação do agente viral;

 

CONSIDERANDO que o risco de contágio do COVID-19 durante o atendimento odontológico atinge, indistintamente, pacientes sadios, cirurgiões-dentistas e equipe auxiliar, medidas de contenção e precaução universal devem ser adotadas para minimizar o risco de infecção cruzada; já que dentistas, pacientes e auxiliares podem ser portadores assintomáticos;

 

CONSIDERANDO as recomendações de entidades odontológicas nacionais e internacionais para minimizar o contágio, o atendimento odontológico durante o surto de COVID-19 estará, temporariamente, restrito aos procedimentos considerados de emergência e urgência listados abaixo:

 

EMERGÊNCIAS ODONTOLÓGICAS:

 

1-Sangramentos não controlados;

2- Infecções bacterianas difusas, com aumento de volume (inchaço) dentro ou fora da boca, com   potencial risco de comprometimento da via aérea;

3- Traumatismo envolvendo os ossos da face, com potencial comprometimento da via aérea.

 

 

URGÊNCIAS ODONTOLÓGICAS

 

1- Dor odontológica aguda, decorrente de inflamações da polpa dentária (nervo);

2- Cárie extensa ou restaurações com problemas que estejam causando dor;

3- Pericoronarite: quadro clínico doloroso relacionado à infecção em terceiros molares retidos (dentes do siso);

3- Alveolite: infeção e dor após extração dentária;

4- Abscessos dentários resultando em dor localizada e inchaço;

5- Fratura de dente, resultando em dor ou causando trauma do tecido mole bucal;

6- Cimentação ou fixação de coroas ou próteses fixas caso a restauração provisória ou definitiva estiver solta, perdida, quebrada ou estiver causando dor e/ou inflamação gengival;

7- Ajuste ou reparo de próteses removíveis que estejam causando dor ou dificultando a mastigação;

8-Troca para medicação intracanal, caso o paciente esteja com dor;

9- Ajuste, troca ou remoção do arco ou dispositivo ortodôntico (aparelho) que estiver machucando ou ferindo a mucosa bucal;

10- Trauma dentário resultando abalo, fratura ou avulsão (saída ou expulsão do dente de dentro do seu local de origem-alvéolo).

Documento foi eletronicamente assinado por ALINE CHADUD MATOSO – TC QOS/Dent e RAPHAEL DE SIQUEIRA JUNQUEIRA – TC QOS/Med

CBMGO nas Redes